Inexoravelmente

janeiro 4, 2012

Opinião vs. Fato

Filed under: Comportamento,Discussão,Opinião — oldbastard @ 1:23 am
Tags:

Bom dia/tarde/noite!

Um post bem curto para tentar entrar no embalo.

Estive pensando um dia desses: “No final das contas, me interessam mais as opiniões que as pessoas tem sobre o assunto em discussão do que os fatos relevantes ao assunto.

Sei que a princípio soa como heresia para quem gosta de discutir amigavelmente mas com seriedade, mas é o meu jeito torto de pensar que me leva a essa conclusão.

Veja bem, se eu tenho uma opinião formada (ou mais ou menos formada) a respeito de algum assunto, significa que eu li, pesquisei ou pelo menos ouvi falar algo sobre o assunto. Minha opinião é baseada em fatos, mesmo que minhas fontes sejam falsas ou deturpadas.

Quando ocorre a discussão sobre o assunto, as outras pessoas emitem suas opiniões, que são baseadas em suas fontes, seus fatos.

O meu ponto é, se estou discutindo sobre um assunto, o que eu quero é debater sobre o assunto e ouvir opiniões diversas, para chegar a alguma conclusão ou pelo menos ampliar os horizontes com relação ao assunto. Não quero necessariamente convencer as outras pessoas de que minha opinião está correta, e certamente não estou querendo ser convencido de que a outra opinião está correta.

Idealmente, se eu estiver errado, quero chegar a essa conclusão através da discussão, não da análise fria dos fatos apresentados em uma fonte.

Talvez isso se deva à minha noção extrema de que, em última análise, nenhuma fonte é confiável.

Aceito que alguém não confie na CNN, na Wikipedia, ou no New York Times como fonte de informação, mas quem me garante que a informação constante em um documento ou tabela apresentado pela ONU, pelo Smithsonian, pelo IPT ou pelo INPE não teve dados manipulados?

Me apresentar uma fonte como provedora de fato irrefutável ou verdade absoluta só vai me convencer em raríssimas exceções, e normalmente só quando o assunto forem ciências exatas.

Tosco? Sei que sou, mas na minha opinião a sua opinião é muito mais importante e relevante dos que as suas fontes ou os fatos em que você se baseia.

Eu quero discutir sobre o assunto, não ler uma tabela com o resultado de uma pesquisa e acreditar prontamente nela.

O que você prefere, ser intransigente na sua certeza ou ter uma discussão interessante?

janeiro 1, 2012

Mourning time has passed // O tempo de luto passou

Filed under: Comportamento — oldbastard @ 11:33 pm
Tags:

Bom dia, boa tarde, boa noite.

Fiquei um bom tempo com o blog de molho, sem vontade de postar e sem me coçar pra arrumar tempo pra isso…

Passou.

Tomando banho no dia 31, resolvi, entre outras coisas, voltar a escrever aqui de novo.
Vou começar devagar, mas espero que com o passar dos dias se torne um hábito.

É um prazer saber que você leu esse post singelo, e é exatamente por você ter lido que resolvi voltar aqui.

Abraços, até logo e obrigado pelos peixes, mas não obrigado!

//

Good morning, good afternoon, good evening.

This blog has been put on hold for a long time, due either to my lack of intent to post or to my ineffective time management, never “finding” the time to post…

All of that has passed.

As I was taking a shower on Dec. 31st, I decided, amongst other things, to come back and to write here again.

I’ll start slowly, but I hope it turns into an habit with the passing days.

It is a pleasure to know you’ve read this simple post, and you reading this is the true reason that made me decide to come back.

Hugs, so long and thanks for all the fish, but no thanks!

novembro 27, 2008

Hipocrisia

Filed under: Comportamento — oldbastard @ 8:17 pm
Tags:

Coletado de vários dicionários online:

Do grego υποκρισις [hupokrisis] (Substantivo feminino). Hipocrisia, dissimulação, fingimento.

1.aparentar uma virtude, um sentimento louvável que não se tem.

2.impostura, fingimento, simulação, falsidade, o oposto da sinceridade e da franqueza.

3.falsa devoção.

4. é o fato segundo o qual discurso do indivíduo ou de um grupo não se alinha perfeitamente com sua prática.

Ainda segundo a Wikipédia (obviamente necessitando revisão e/ou com dados de confiabilidade duvidosa):

A hipocrisia é o ato de fingir ter crenças, virtudes e sentimentos que a pessoa na verdade não possui. A palavra deriva do latim hypocrisis e do grego hupokrisis ambos significando a representação de um ator, atuação, fingimento (no sentido artístico). Essa palavra passou, mais tarde, a designar moralmente pessoas que representam, que fingem comportamentos.

Um exemplo clássico de ato hipócrita é denunciar alguém por realizar alguma ação enquanto realiza a mesma ação.

O cientista cognitivo Keith Stanovich fez uma carreira do estudo da hipocrisia. Ele a vê como surgindo da incompatibilidade de tais coisas como o interesse próprio e os desejos com crenças de ordem mais alta na moralidade e na virtude. As únicas pessoas que não são hipócritas são a minúscula e talvez não-existente minoria que é tão santa que nunca se entregam a seus instintos mais básicos e o grupo maior que nunca tenta viver segundo os princípios da moralidade ou virtude. Ele dessa forma defende que os hipócritas são na verdade a classe mais nobre das pessoas.

François duc de la Rochefoucauld revelou, de maneira mordaz, a essência do comportamento hipócrita: “A hipocrisia é a homenagem que o vício presta à virtude”. Ou seja, todo hipócrita finge emular comportamentos corretos, virtuosos, socialmente aceitos.

O termo “hipocrisia” é também comumente usado (alguns diriam abusado) num sentido que poderia ser designado de maneira mais específica como um “padrão duplo”. Um exemplo disso é quando alguém acredita honestamente que deveria ser imposto um conjunto de morais para um grupo de indivíduos diferente do de outro grupo.

Citação retirada do site http://www.citador.pt :

O Sofrimento do Hipócrita

Ter mentido é ter sofrido. 0 hipócrita é um paciente na dupla acepção da palavra; calcula um triunfo e sofre um suplício. A premeditação indefinida de uma ação ruim, acompanhada por doses de austeridade, a infâmia interior temperada de excelente reputação, enganar continuadamente, não ser jamais quem é, fazer ilusão, é uma fadiga. Compor a candura com todos os elementos negros que trabalham no cérebro, querer devorar os que o veneram, acariciar, reter-se, reprimir-se, estar sempre alerta, espiar constantemente, compor o rosto do crime latente, fazer da disformidade uma beleza, fabricar uma perfeição com a perversidade, fazer cócegas com o punhal, por açúcar no veneno, velar na franqueza do gesto e na música da voz, não ter o próprio olhar, nada mais difícil, nada mais doloroso. 0 odioso da hipocrisia começa obscuramente no hipócrita. Causa náuseas beber perpétuamente a impostura. A meiguice com que a astúcia disfarça a malvadez repugna ao malvado, continuamente obrigado a trazer essa mistura na boca, e há momentos de enjôo em que o hipócrita vomita quase o seu pensamento. Engolir essa saliva é coisa horrível. Ajuntai a isto o profundo orgulho. Existem horas estranhas em que o hipócrita se estima. Há um eu desmedido no impostor. 0 verme resvala como o dragão e como ele retesa-se e levanta-se. 0 traidor não é mais que um déspota tolhido que não pode fazer a sua vontade senão resignando-se ao segundo papel. É a mesquinhez capaz da enormidade. 0 hipócrita é um titã-anão.

Victor Hugo, in “Os Trabalhadores do Mar”


Outra:

A Hipocrisia do Ser

Para que servem esses píncaros elevados da filosofia, em cima dos quais nenhum ser humano se pode colocar, e essas regras que excedem a nossa prática e as nossas forças? Vejo frequentes vezes proporem-nos modelos de vida que nem quem os propõe nem os seus auditores têm alguma esperança de seguir ou, o que é pior, desejo de o fazer. Da mesma folha de papel onde acabou de escrever uma sentença de condenação de um adultério, o juiz rasga um pedaço para enviar um bilhetinho amoroso à mulher de um colega. Aquela com quem acabais de ilicitamente dar uma cambalhota, pouco depois e na vossa própria presença, bradará contra uma similar transgressão de uma sua amiga com mais severidade que o faria Pórcia. E há quem condene homens à morte por crimes que nem sequer considera transgressões. Quando jovem, vi um gentil-homem apresentar ao povo, com uma mão, versos de notável beleza e licenciosidade, e com outra, a mais belicosa reforma teológica de que o mundo, de há muito àquela parte, teve notícia.
Assim vão os homens. Deixa-se que as leis e os preceitos sigam o seu caminho: nós tomamos outro, não só por desregramento de costumes, mas também frequentemente por termos opiniões e juízos que lhes são contrários.

Michel de Montaigne, in ‘Ensaios – Da Vaidade’

E mais algumas curtinhas:

Cada um possui na sua natureza alguma coisa que, se a manifestasse em público, suscitaria reprovação

Fonte: “Máximas e Reflexões”
Autor: Goethe , Johann

Às vezes procura-se parecer melhor do que se é. Outras vezes, procura-se parecer pior. Hipocrisia por hipocrisia, prefiro a segunda

Fonte: “La Virtud Sospechosa”
Autor: Benavente y Martinez , Jacinto

Sem as pequeninas hipocrisias mútuas, tornar-nos-íamos intoleráveis uns para os outros

Autor: Wertheimer , Emanuel

Um homem pode agradar e sorrir e não passar de um facínora

Autor: Shakespeare , William

As nossas maiores dissimulações são desenvolvidas não para esconder o que há de ruim e feio em nós, mas o nosso vazio. A coisa mais difícil de esconder é aquilo que não existe

Autor: Hoffer , Eric

Ninguém pode, por muito tempo, ter um rosto para si mesmo e outro para a multidão sem no final confundir qual deles é o verdadeiro

Fonte: “A Letra Escarlate”
Autor: Hawthorne , Nathaniel

Eu poderia falar um monte de besteiras a mais sobre o tema, mas como obviamente muito já foi dito por figuras de propriedade e projeção reconhecidas, prefiro ler, aprender e, se possível, discutir com quem se dispuser a comentar.

Blog no WordPress.com.