Inexoravelmente

abril 7, 2009

It’s a sad day…

Filed under: Uncategorized — oldbastard @ 12:09 am
Tags:

Tentei blogar um pouco, mas o elan está longe, voando em campos mais agradáveis do que o nosso.

A morte ingrata e sem sentido de um amigo neste domingo me deixou meio sem vontade de escrever.

 

Vai na paz Alvinho…

Anúncios

abril 3, 2009

A triste saga (ou seria sina) do cliente da Telefônica – Prelúdio

Filed under: Histórias de consumidor,Uncategorized — oldbastard @ 10:07 pm
Tags: ,

PRELÚDIO

 

Era uma vez um tempo em que não existia a banda larga.

Nessa época todos eram felizes (ou infelizes, depende do ponto de vista) com sua conexão.

Um belo dia surgiu em nossas praias o Speedy (tá, existiam as linhas privativas de dados da Telesp, mas aí eu vou fugir tanto do escopo da minha história que nem vou conseguir encontrar o caminho de volta).

Com o Speedy 256k tudo ficou lindo e maravilhoso, e o que era melhor, sem cotas de download (não vou entrar em detalhes de IP fixo e outras lendas).

De repente apareceram outras velocidades, outros planos, cotas de download e funcionários de centrais de televendas querendo de qualquer jeito que a gente mudasse pra um dos planos novos. Pode ser impressão minha, mas acho que nessa época se iniciou um vale na qualidade do suporte técnico da telefonia brasileira, que continua descendo até hoje.

Nessa fase a nossa história passa por uma série de eventos não relacionados, e todos os dissabores que a Telesp/Telefônica nos fez passar resultaram em um cancelamento de Speedy Home e de nossa linha de telefone fixo.

Entramos na fase Vivax. Nosso acesso à internet era pela Vivax (nosso caso de comunicação via telefone vai render alguma outra saga em algum outro dia), que era uma bosta.

Ficamos com a Vivax uma cara, apesar de inúmeras indosponibilidades. A Vivax virou TVA, a TVA virou NET e a NET virou um provedor ruim, pelo menos aonde nos estavamos instalados. No entanto como a alternativa era o Speedy, ficamos com a NET mesmo, se é que podemos dizer que ter acesso durante uns 12 a 17 dias por mês é ser assinante de algum provedor.

Eita prelúdio comprido.

Finalmente chegamos ao meio de 2008. 

Uma mudança de endereço para uma cidade pequena a 200km das capitais e dos amigos nos fez cancelar a NET.

Chegamos aqui e descobrimos para nosso gáudio e entretenimento que por aqui só existem alguns provedores duvidosos a rádio e a nossa velha conhecida, a Telefônica.

Como gato escaldado nao passa perto de balde nem de panela, relutamos ao máximo.

Fomos vencidos pelo péssimo sinal nos celulares da Claro e pelo pífio, risível, horrendo sinal da internet móvel na região.

Certo dia fizemos as contas de quanto gastaríamos para ter novamente um linha da Telefônica e possivelmente o Trio (Speedy, Telefônica TV Digital e Fale a Vontade). Decidimos que a necessidade de uma linha telefônica confiável e que as horas que estavamos gastando para navegar por páginas da internet que poderiam ser carregadas em minutos valeriam o preço.

Várias noites de acesso à páginas da Telefônica se seguiram, e finalmente decidimos transformar o assunto em algo pessoal e partimos pro contato.

 

Isso é o que vocês vão ver amanhã no próximo post, que deve receber o subtítulo “Não vendemos café com leite. Primeiro o senhor tem que comprar o leite e só depois levaremos o café pro senhor”.

novembro 17, 2008

It’s not dead. It’s just resting…

Filed under: Uncategorized — oldbastard @ 7:30 pm

Fonte: http://www.reuters.com/article/oddlyEnoughNews/idUSTRE4AD72J20081114

Em um compilação de piadas de 1600 anos atrás, atribuída aos comediantes gregos Hierocles e Philagrius, e entitulada “Philogelos”, uma das piadas conta que um homem reclama ao comerciante de escravos que o escravo que ele acabou de comprar está morto. O comerciante responde que o escravo nunca fez algo do tipo enquanto estava com ele…

Dizem que as piadas antigas são as melhores.

Inexoravelmente!

Filed under: Uncategorized — oldbastard @ 4:14 pm

Inexoravelmente.

Advérbio de modo, significando “que não pode ser evitado”, “de maneira imparcial, austera e correta”, “que não cede a rogos”, “implacávelmente”.

É óbvio que o advérbio não se aplica à minha pessoa de um modo geral, mas é um termo que com o passar dos anos passei a respeitar. O tempo, esse sim inexorável, impõe suas regras a tudo e todos com seu jeitinho nada sutíl, e não sei bem por qual motivo resolveu me colocar de novo em frente a um teclado para escrever mais um blog.

Minhas experiências anteriores com blogs, fotologs e afins foram bem mal sucedidas, mas como impulsos criativos são raros em pessoas preguiçosas como eu, resolvi ceder e começar a escrever de novo.

Se você já me conhece não são necessárias maiores introduções. Se não me conheçe, segue uma breve apresentação. Sou brasileiro, branco, tenho quase 40 anos, casado legalmente a mais de 9 anos, bancário a quase 10 anos e prestes a ser pai pela primeira vez. Não sou intelectual nem tenho a pretensão de me tornar, mas mesmo sabendo que os rótulos são sempre colocados pelos outros, espero fugir do estigma de ser chamado de intelectualóide. Sei que não sou culto, mas não me considero inculto. Se você acredita em testes que medem QI, QE e afins,  acredite se quiser costumo obter resultados acima da média em todos. Não leio jornal diariamente, não aprecio a programação dos canais da tv aberta e normalmente não me satisfaço com a tv paga. Não gosto da maioria que é publicado em revistas de atualidades e não acredito em tudo que leio na internet. Não costumo ler os livros da moda, sejam ficção ou não-ficção, e não li a maioria dos clássicos de qualquer gênero. Costumo evitar discutir política, religião, futebol e outros assuntos polêmicos, mas paradoxalmente adoro um boa discussão sobre qualquer assunto. Minha postura na maioria das conversas é a de ouvinte atento, mas tenho o hábito de soltar uns cacos de vez em quando. Não sou uma pessoa 100% correta, mas garanto que eu tento. Talvez por tentar tanto, não gosto do que não é correto e procuro corrigir ou orientar as pessoas que se dispõe a ouvir, sempre que possível.

É pouco mas acho que é o suficiente para esse meio tão impessoal.

Este blog vai ser mais um dos genéricos, sem tema definido. O diário de um velho chato…

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.